Ele já foi considerado crime, pecado, método anticoncepcional e respeito. Sim, respeito. Pois, na Roma Antiga, na noite de núpcias em respeito à timidez da noiva, fazia-se o sexo anal.

O sexo anal, sem rodeios, define-se pela introdução do pênis no ânus. É uma das preferências sexuais, pois o “aperto” do ânus proporciona prazer intenso. Como toda prática sexual só deve ser feito se houver desejo e prazer para os dois. Nunca deve ser feito por obrigação ou para agradar. Sexo é cumplicidade!

Por que muitos homens desejam o sexo anal? Sentem mais tesão com o “aperto” do ânus, o bumbum é uma preferência nacional e eles costumam associar a posição de quatro a poder e controle. Mas, lembre-se: esta pode não ser a posição mais agradável. Tente também outras, como de lado ou deitada de bruços.

O sexo anal é também permeado de mitos. O homem gostar de fazer sexo anal com mulheres não o define homossexual. Ele tem desejo pelo sexo anal com uma mulher. O ânus faz parte do corpo feminino também. E não é só o homem quem sente prazer com o sexo anal. O prazer é dos dois. Por isso, não o faça se não se sentir à vontade.

Atenção! Não deve haver dor com a prática. A região anal não tem a elasticidade nem a lubrificação da vaginal. Assim, deve-se estar bem relaxada quando for acontecer a penetração. Pois, esse relaxamento favorece a abertura do esfíncter que comporta a entrada do pênis. É bem-vindo o uso de lubrificantes para sexo anal para não haver dor nem fissuras anais.

Pontos muito importantes: usar camisinha sempre! Se pretender penetrar a vagina depois do ânus, troque a camisinha! Cuidado com os lubrificantes anestésicos, eles podem mascarar dores e causar fissuras!

Por fim, sexo anal é uma fonte de prazer, uma forma de fazer sexo que requer algumas precauções, como todas as outras práticas sexuais.

Como relaxar para o sexo anal?

Aqui, vão algumas dicas da fisioterapeuta pélvica e sexóloga Bianca Herbe, membro da Associação Brasileira de Fisioterapia.

  • É importante que, na hora do sexo anal, tenha muitas preliminares e carícias na região. O ânus é sensível e carícias são bem-vindas.
  • O parceiro deve ir devagar: primeiro introduzir um dedo, sempre esperando o reflexo anal passar.
  • Somente depois deve introduzir o pênis, e de forma gentil. Depois que o pênis entrou todo, pode-se fazer os movimentos desejados.

Divirtam-se!

O texto acima é da mestre em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília, psicóloga, psicopedagoga, sexóloga, especialista em Educação Sexual Carolina Freitas. Terapeuta Sexual pelo Centro de Sexologia de Brasília CESEX, membro associado à Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana SBRASH e integrante do site Sexo Sem Dúvida.

Psicólogo, terapeuta Sexual e co-fundador do portal Sexosemduvida.com, pós-graduado em Terapia Sexual pelo Instituto Brasileiro de Sexologia e Medicina Psicossomática de São Paulo (ISEXP/SP) e pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo/SP. Com especialidades em Sexualidade, Orientação e Terapia Sexual e de Casal .

msisdn