Em meio à uma pandemia global do coronavírus (COVID-19), doença infecciosa ocasionada por um vírus respiratório, pesquisadores e indústria farmacêutica vão em busca da cura e tratamento para a doença que já matou mais de 31 mil pessoas em todo o mundo, segundo balanço publicado pela AFP com base nas informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A doença pode demonstrar seus primeiros sintomas, entre 2 e 14 dias, sendo sua principal forma de contágio pelas gotículas de saliva, contato com pessoas contaminadas, superfícies e objetos contaminados. Embora em alguns lugares do mundo, inclusive no Brasil, o vírus passou a registrar casos de contaminação local. Ou seja, quando a contaminação acontece em determinados locais sem que a pessoa saiba a origem do contato.

Mas existe uma forma de se prevenir contra esse vírus? Infelizmente, ainda não foi descoberta a cura para a doença e tampouco uma vacina. Por isso, a principal recomendação é lavar as mãos com água e sabão e higienizá-la com álcool em gel 70%, além de evitar aglomerações.

Pesquisa revela deficiência de vitamina D nos pacientes diagnosticados com a COVID-19 

O coronavírus já atingiu 117 países por todo o mundo sendo a Itália uma das nações com maior registro de casos diagnosticados e mortes, depois dos EUA e China, país em que foram notificados os primeiros casos da doença. A incidência do vírus vem aumentando em outros países como Espanha, França e outros. Pesquisadores de todo o mundo estão em busca de soluções que possam ajudar a combater ou atuar na prevenção de novos casos.

Uma dessas pesquisas sugere que a vitamina D pode ser um desses aliados. Recentemente, a Universidade de Turim, na Itália, publicou um estudo em que aponta a deficiência do nutriente nos pacientes diagnosticados com a COVID-19.  No entanto, é importante destacar que o estudo não fala de cura, mas na ajuda da redução dos fatores de risco, que acometem principalmente os mais idosos.

“A compensação por essa ampla deficiência de vitamina pode ser alcançada principalmente expondo-a à luz do sol, tanto quanto for possível, mesmo que seja em varandas e terraços, comendo alimentos ricos em vitamina D e, sob supervisão médica, tomando medicamentos específicos “, disseram os pesquisadores ao jornal italiano La Repubblica.

Alimentos ricos em vitamina D 

Além da exposição solar, alguns alimentos são ricos no nutriente. (Foto: Shutterstock)

Nem só de exposição solar, é possível obter os benefícios da vitamina D. O nutriente pode ser obtido por meio de suplementos recomendados por um profissional de saúde e por fontes naturais, entre eles alimentos que você pode incluir na sua alimentação sem medo, entre eles salmão, atum, sardinha, gema de ovo, queijos, fígado e cogumelos.

Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.

msisdn